domingo, agosto 27, 2006

Medo

Diz o mestre:
Muita gente tem medo da felicidade. Para essas pessoas, esta palavra significanmudar uma série de de hábitos - e perder a sua própria identidade.
Muitas vezes julgamo-nos indignos das coisas boas que nos acontecem. Não as aceitamos, porque aceitá-las dá-nos a sensação de que ficamos a dever alguma coisa a Deus.
Pensamos: " É melhor não provar o cálice da alegria porque, quando este nos faltar, iremos sofrer muito."
Por medo de diminuir, deixamos de crescer. Por medo de chorar, deixamos de rir."
Maktub - Paulo Coelho

Proximidade de Deus

Os místicos dizem que, quando começamos o nosso caminho espiritual, queremos muito falar de Deus - e acabamos por não ouvir o que Ele tem para nos dizer.
Diz o mestre:
Relaxe um pouco. Não é fácil; temos a necessidade natural de fazer sempre a coisa certa e achamos que o vamos conseguir, se trabalharmos sem parar. É importante tentar, cair, levantar e seguir em frente. Mas vamos deixar que Deus nos ajude. No meio de um grande esforço, vamos olhar para nós mesmos e deixar que Ele se revele e nos guie.
Vamos permitir que, de vez em quando, Ele nos coloque no Seu colo.
Maktub* Paulo Coelho

* para os árabes significa "está escrito".

sexta-feira, agosto 25, 2006

O tolo


Conta-se que numa pequena cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado de pouca inteligência, que vivia de pequenos biscates e esmolas. Diariamente eles chamavam o bobo ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas uma grande de 400 réis e outra menor, de dois mil réis. Ele sempre escolhia a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos.
Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos. "Eu sei" - respondeu o não tão tolo assim - "ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar minha moeda." Pode-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa.
1. A primeira: quem parece idiota, nem sempre é.
2. Dito em forma de pergunta: quais eram os verdadeiros tolos da história?
3. Outra: se você for ganancioso, acaba estragando sua fonte de renda.
4. Mas a conclusão mais interessante, a meu ver, é a percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.
Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas o que realmente somos.
"O maior prazer de um homem inteligente é bancar o idiota diante de um idiota que banca ser o inteligente."
Autor desconhecido